O perigo da garantia

Os crentes do antigo testamento enfrentavam um dilema. Em 2 Reis 17.29-40 – Viam os povos ao redor deles adorando deuses que tinham poderes específicos; da chuva, do fogo, da colheita, da fertilidade. O que reivindicava era que, se você adorasse determinado deus suas colheitas seriam boas, você seria protegido de ataques, seus rebanhos aumentariam, segurança, prosperidade, parecia tentador. Iavé, naturalmente, havia prometido a mesma coisa. Mas quem sabia de quem eram as promessas mais eficazes? Por isso muitos Israelitas se garantiam. Ofereciam sacrifícios a Iavé, mas também a Nergal, Tartaque e Adrameleque. Eles adoravam no templo, mas também nos lugares altos. Tinham os levitas, mas também seus sacerdotes pagãos.

Garantir-se foi o motivo da sua queda, eles não entenderam que é impossível dos dois lados. Fazendo isso estavam se afastando do Deus vivo, do Deus do poder e do livramento.

Jesus e o escritores do novo testamento surpreendentemente não se incomodavam muito com Tartaque, Adrameleque e outros deuses. Em vez disso, o novo testamento está cheio de advertências contra um deus mais presente em nossos lares, especialmente nós lares dos crentes de hoje: “Nenhum servo pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro” (Lucas 16.13).

Se tentarmos fazer isso, cairemos. Aquilo que nos inclinamos a pensar que é uma prudente atitude financeira geralmente é o que os crentes do antigo testamento também pensavam ser uma prudente atitude financeira: jogar dos dois lados. Servir a Deus e ao Dinheiro. Como aqueles Israelitas, conhecemos pessoas que servem ao Dinheiro. Nossa cultura está permeada delas.

Como saber se não transformamos o nosso “ganha-pão” numa coisa mais importante do que o Deus vivo? Quando sacrificamos livremente o nosso tempo e as nossas energias no altar do materialismo. Quando começamos a nos sentir garantidos por causador nossos seguros de vida, nossos fundos de aplicações financeiras e nosso nível de rendimentos, em vez de nos sentirmos garantidos porque as mãos de Deus nos sustentam. Nesse ponto perdemos contato com o grandioso poder do Deus vivo. Os crentes do antigo testamento se afastaram de Deus por causa de um monte de blocos de madeira esculpidos. Você não será um crente do novo testamento que está se afastando por todas as razões “corretas ” do Deus vivo? (Romanos 11.2; Tiago 4.13; 5.6).

-Shirlei Malaspina

Comments are closed