Nosso auxílio

Nesse século vivemos constantes batalhas e as vezes nos sentimos vencidos por algumas delas. A Bíblia nos da vários exemplos de como devemos lutar (Efésios 6) Nos ensina que nossa luta não é contra carne e sangue.

1 Samuel 1.1-11 relata a história de uma mulher chamada Ana, que passava por uma luta por não poder ter filhos, essa luta era regada de muitos sentimentos que a faziam sentir-se cada vez pior e distante do seu sonho de ser mãe.

As mulheres daquela época que não tinham filhos sofriam preconceitos. Ana vivia em uma cultura onde os filhos determinavam o valor de uma mulher. Além disso ficar sem um filho homem era praticamente a garantia para a mulher de uma viuvez miserável; e ficar sem filho nenhum era a garantia de maldição divina.

Ana vivia a humilhação em sua própria casa vendo Penina a mulher que não era amada, com um bando de filhos. Ela buscava ao Senhor por anos na mesma súplica.

Porque você vive chorando? Seu marido perguntava: “Eu não sou melhor pra você do que 10 filhos”.

Não, não era. Elcana era um homem idoso e incapaz de providenciar segurança econômica para Ana em uma cultura na qual ela ficava reduzida a mendicância depois de sua morte. A Bíblia não nos conta o que ela respondeu ao seu marido. Apenas do o que ela fez. Ela se levantou e foi ao tabernáculo orar.

“Oh Senhor dos exércitos” ela orou, prostrada diante do altar de Deus” se tu deres atenção a humilhação de tua serva, te lembrares de mim e não te esqueceres de tua serva, mas lhe deres um filho, então eu dedicarei ao Senhor todos os dias de minha vida (v.11).

Portanto nós nos surpreendemos quando lemos, dois versículos abaixo, que no devido tempo Ana concebeu e teve um filho e que o chamou de Samuel “Eu o pedi ao Senhor”, ela disse (v.20) e, por causa de Samuel, Ana aprendeu e nós aprendemos que não ficamos nunca sem auxílio (Salmos 34.1-4; Isaias 65.24; Lucas 11.9-10).

– Shirlei Malaspina

Comments are closed